15.8.06

Neo(concret)izando o Maio de 68

no maio de 68
a sociedade civil

no maio de 68
a sociedade civil

no maio de 68
a sociedade civil

no maio de 68
a sociedade civil

no maio de 68
a sociedade civil

no maio de 68
a sociedade civil


no maio de 68
a sociedade se viu

6 comments:

Lucinao Soares said...

e foi realmente isso que aconteceu. muito bom... continue assim!

Renato Lorde said...

Gostaria de dizer que acho a poesia neoconcreta um formato muito bom pra esses tempos de caretice que nossa arte vive. uma pena que o gullar abandonou isso, mas eu fico feliz de ver pessoas como vc Tiago que representam a nova poesia brasileira. é muito importante isso pois aqui no rio ninguem abre os olhos pra realidade da poesia m outros lugares. espero em breve poder ver suas poesias impressas. valeu!!!

Anonymous said...

a sociedade se viu...e o que ficou? meu caro escritor, desafio você a escrever algo sobre o que ficou do maio de 68...

Adriana S. Assumpção said...

a repetição do verso é uma especie de condução para a aliteração da ideia do que surgia alí. e em vermelho vejo o resultado. o mundo (não só a frança) diante do espelho. parabens pelo blog e pelo trabalho no mar de poesias!

Carlos CEP20000 said...

viva o poeta
viva o poeta
viva o poeta
vira o poeta

Tatiana Yasbek said...

parabéns. muito bom Tiago.