15.5.12

desejo imperativo

"Lábios, palavras, e lhes armamos armadilhas,
Sonhos, palavras, e são como jóias,
Estranhos bruxedos de velha divindade,
Corvos, noites, carícia:
E eis que não o são;
Já se tornaram almas de canção."
Ezra Pound (Cino - tradução: Mário Faustino)


teu bico, tuas ranhuras, teu colo
a jazz band.

de achar graça em tua camisa
preta, nada solene. 

perder o sono em teu salto
alto, acordar embaixo.

§ costurar com salto agulha

exercício de unir corpo
fazer tornado
caminhar, eu, por suas
pernas torneadas.

deixar que o tempo faça marcar
na marca de dente
em teu calcanhar.

tuas pernas revoltas que movem
por sobre o corpo, meu copo
teu cigarro.

§ cinzas no lençol.

as marcas do chão nos joelhos
frio assoalho, contra o quente
desejo.

é tudo um grande degredo,
místico segredo que
se quer libertar.

cada pequeno e doce crime
anotado numa lista,
desejo novo, amor antigo.

meu nome, evocativo
tua ordem, desejo

: - imperativo!





4 comments:

Renato Farley said...

perfeito. excelente

Anonymous said...

cute *-*

Edna said...

O que dizer...? Lindo, simplesmente.É isso!

Cassiana Z. said...

alma das minhas canções