12.9.09

Dúvida

Ao André Capilé

devo fazer versos inexoráveis
inextínguiveis? ou deveria
assinar o branco do papel
com marcas de meus amores

devo soar um poeta torpe?
ou um poeta soez? ser sossobro
rude, ou esperança delicada?

a despeito das contendas
devo rumar a um norte
ao menos [a um norte]
que não seja movimento
que a despeito, de ger(ações)
soe assombro, susto, sopro
bote, pó, que eleve
ou não leve
nada a lugar nenhum

mas que seja surpresa
onde reside o sustentáculo poético
de persistência da linguagem, sim

a surpresa

3 comments:

Luiz Fernando "Mirabel" said...

Se um dia provarem
qual é o real benefício
da dúvida,
assino embaixo.

Com gosto duvidoso.

anel said...

hum, tô sacando vc e o capilé

Andre de Freitas Sobrinho said...

cara... "ser sossobro /
rude, ou esperança delicada"? isso é uma beleza.

"a despeito das contendas /
devo rumar a um norte" - isso é entender a concepção de cena, sem cena encenada.

"que seja surpresa / (...) / de persistência da linguagem, sim" - uma ética, uma poética.

"a surpresa"! manter a capacidade do espanto é uma missão.

Mereço menos que o poema; mas daqui, desse lugar incômodo, só posso dizer: obrigadíssimo, por me fazer provar - mais uma vez - que uma ou duas línguas queimadas rendem um bom amigo.

p.s.: ng nunca me dedicou um poema. snif.