25.11.06

Uma poesia em homenagem a Dnar Rocha

o artista

ao Dnar Rocha (25/11/2006)



cores fulgidas
paisagens torpes, condecorando
a natureza
que sobrevive
nos traços
tácitos, do sábio
pincel silencioso, onde
a inspiração respira
a modernidade

o artista
compartilha-se na obra

seus olhos
braços
e boca
sobrevivem
(entre flores e igrejas)
nos relevos das tintas
sóbrias
por sobre a tela da vida
que consagra
o olhar
o andar
do artista
que, agora, timidamente
desfila no infinito

TIAGO RATTES DE ANDRADE

4 comments:

Anonymous said...

Tiago, aqui é o Lucas Bracher.
Você tem tido notícias do Dnar? Como ele está?

[]s!

Lucas.

Erick said...

Perfeito!

Anonymous said...

Nossa, cara, agora que eu li é que me dei conta...
Eu só tinha tido notícias que ele estava mal, achei estranho meus pais não terem falado de nada.
É um grande pintor que se vai.

Anonymous said...

Belo poema.... sensível
uma grande homenagem ao Dinar