31.7.06

pouca coisa me lembro de minha infância... talvez o que mais me recorre são os cheiros. Lembro-me que na roça, em nossa casa, havia uma cozinha que parecia ter duas portas. Ao fundo um fogão acetinado vermelho. Não me lembro de geladeira, nem de pia... só me lembro de uma mesa com duas cadeiras. Nem janelas, nem assoalho. Somente panelas ao fogo com trejeito esfumaçado que fazem de minhas recordações uma sentelha onírica. Mal sei o que é sonho, o que é passado. Com minhas ainda pequenas pernas cruzava pelas duas portas. O cheiro parecia de feijão à cozer. Barulho de faca a bater na tabua, Vagem. Quiabo. Cachorro velho perto da porta. Lá fora, cheiro de terra molhada; no quintal cheiro de café torrado. Ainda hoje eu me pego a sonhar meu passado...

3 comments:

Marcella Mendes said...

"Somente panelas ao fogo com trejeito esfumaçado que fazem de minhas recordações uma sentelha onírica."

Grande capacidade de recurso linguistico...valeu

Valéria M. C. Silva said...

Parabéns pelo blog e pela aprovação do projeto na Lei Murilo Mendes...um abraço

Lú Castro said...

olá te vi na comunidade do CEP20000, vc particpa lá? tem informações a dar? gostei do teu trabalho...me manda algo