15.6.11

anedota do misógino

-crença-

acredita que o temor diante coxas, virilhas e pés femininos,
não é nada mais que - de forma retumbante - racionalidade.

-este número está fora de área e não possui caixa postal-

Luciana insiste que ele atenda o telefone, antes que anoiteça.
Suando frio, prefere o velho golpe do túnel - e com sede,
escolhe o café de uma livraria de shopping , para tomar uma Sprite.

Ao menos, Luciana e suas amigas, lá, não abririam a boca.

-constatação de homem de meia idade bem sucedido-

Nunca mais foi em botecos.

-casa grande e senzala-

quando sai do shopping center, oferece olhar com lascívia
apenas a mulheres negras, e assim acredita
que faz um favor ao pavilhão nacional.

no fundo, ou no raso, está imbuido de certeza que esse caminho é fácil.

-boa noite, pai!-

mas quem deu boa noite foi a mãe.

-revista é sempre mais agradável que livro-

Chico Buarque de Holanda não passa de uma bicha
que canta canções com [eu lírico feminino].

aliás, a coleção deste compositor - reeditada pela editora Abril - será
o único produto da empresa que não comprará.

-fim do dia, microsoft outlook (1) mensagens não lidas-

from: Luciana
Subject: Adeus

a culpa sempre será dela.

1 comment:

Cláudia Costa said...

Sempre bom encontrar na poesia um abrigo, um amigo, um encanto, um sorriso.
Sempre bom encontrar num poema, uma surpresa, uma novidade, de graça, que afague, que sussurre que faça bem a alma de quem lê.

Cheguei pra espiar e encontrei um pouco de tudo. Adorei.

Volto de quando em vez, pra me deliciar.