15.3.09

Sonhei com Nava

sonhei que dava um rolê com Pedro Nava,
nos encontramos às 13 horas
no pirulito mais famoso da cidade
para uma bela tarde, de prosas

e ele me revelava segredos ousados
guardados em sua memória
e eu abismado
queria que ele me contasse
histórias de Drummond,
para que pudessemos fazer piadas
acerca do poeta itabirano

confessei a ele que morria de inveja
de sua escrita e que era infeliz
por não ter sido eu o autor do Bau de Ossos

descemos o calçadão e tomamos um café
e ele indignado com o sabor do adoçante dietético
cobrou de mim mais seriedade da minha geração
sobre coisas elementares

e no fim do dia ríamos de Murilo Mendes
que subia pro Vitorino sabe-se lá por que

2 comments:

anderson pires da silva said...

thiago,
bonito o poema, só que fiquei com uma dúvida: depois de sonhar com o nava, vc acordou molhado?

Lucio said...

Belo poema, Nava vive em nossos corações.