31.10.08

Recordar é viver

Amor proibido 

Ela Paulista,eu Mineiro
Ela pós moderna, eu de esquerda
Ela Yuppie, eu Hippie
Ela sem calcinha sempre, eu adolescente
Ela agnóstica, eu católico (afinal sou mineiro)
Eu brasileiro, ela estrangeira (afinal ela é paulista)
Eu Ouro Preto, Ela Nova Iorque
Eu Fogão á Lenha, ela microondas
Eu família, ela incesto
Eu vestido, ela nua
Eu violão, ela sampler (afinal ela é paulista)
Ela lanche, eu almoço (afinal sou mineiro)
Ela uma paixãozinha, eu amor eterno
Ela apartamento, eu sítio
Ela IRA!, eu Clube da Esquina
Ela Baudelarie, Eu Balzac
Ela Wally Salomão, Eu Ferreira Gular
Ela o irmão, eu minha mãe

EU UM ROMANCE DURADOURO
ELA UMA NOITE GOSTOSA

Afinal ela é paulista Eu sou mineiro

5 comments:

Anonymous said...

nem precisa recordar. eu nunca esqueço estes versos.

Anonymous said...

começa a repetir poesia, sinal de decadência.

Espaço Democrático de Debates said...

Grande Companheiro,
Recomendo no meu blog,seu livro como leitura recomendada!!
Suas poesias são ótimas!
Abraço e saudaçõe socialistas.

Anonymous said...

a paulista voltou? quem voltou? conte-nos...

cecí said...

oh, ana júlia!