12.9.06

s/ título

(viva o corpo que celebra a vida e vive
a ser, ainda que não, mesmo que sim
e sobrevive aos atalhos da morte,
sim a morte que ronda e esvai vida
pelos pulsos desatados que desperdiçam
as algemas do ser si mesmo)

e
poesia
vive nos
cantos, e nos encantos
daqueles
que perfuraram
a vontade e acordam
cedo; pra
ver
o
sol nascer




para assistir um video experimental dessa poesia clique aqui:

3 comments:

Rafael Pires said...

muito bom... apenas não entendi o que estava escrito ao fim do video... a poesia é linda e o video ficou genial

Igor Silva said...

realmente a idéia de experimentar encaixa bem om a poesia. muit bom!!

michelARBRUKS said...

hola, tiaguinho! mui bueno sua videopoesiaconcreta... tanx